Livro Completo
DIA ZERO - 10/11/02

Após reunião na Casa da Espanha, Caminhada na Floresta da Tijuca, festa de despedida, com direito a bolo de Santiago de Compostela e tudo, muita compra e pesquisa, muuuuuuitas descobertas e inseguranças, é chegada a hora da viagem.
Meu PP costuma dizer que sua caminhada já vem acontecendo há muito tempo, quando, no início do ano, foi à Machu Pichu, deixou sua empresa, se formou em Marketing (comigo, diga-se de passagem)... Que hoje, não iria mais à Santiago para pedir, mas sim, para agradecer por tudo o que tinha conquistado, principalmente neste ano.

Passamos os últimos dois dias em função desta viagem. Compras, preparativos, organização de mala, listagem de tudo o que deveria ser feito aqui no Brasil na sua ausência, momentos de carinho e " você vai sentir minha falta?", ou ainda " Santiago está me esperando, Moniquinha!", presença constante na vida do outro (não nos desgrudamos nas últimas quarenta e oito horas)...
O principal disso tudo, foi que mais uma vez nos "encontramos", estivemos juntos em prol de mais uma conquista "nossa".

Hoje, nosso dia se desenrolou assim: fomos ao aniversário de um ano do filho de uma grande amirmã (mistura de amiga com irmã), e depois, junto com minha mãe, fomos rumo ao aeroporto para seu embarque.
Muita coisa passou pela minha cabeça. Estava ali, "entregando-o" à Santiago, com a esperança de tê-lo de volta renovado e feliz, muito feliz!

Com muita tranqüilidade, ele fez seu check in, bebemos algumas coisinhas para passar o tempo, ele fez suas últimas ligações, tiramos fotos e foi chegada a hora crucial: seu embarque... Caramba, que aperto no peito... Uma lágrima tentou "dar o ar da graça", mas eu fui mais forte, respirei fundo , e consegui apenas abraçá-lo muito, pedi-lo para voltar, para pensar na gente enquanto caminhasse e enchê-lo de beijo. Mas sabe que só agora me dei conta, que não o disse que o amava?? Ah, bobeira, ele sabe disso!

Agora estou aqui, dando início a este DIÁRIO DE UMA "PEREGRINA" EM SANTIAGO DE COMPOSTELA - que nunca esteve lá, para mostrar que para fazer a caminhada, não precisa-se comprar uma passagem de avião, muito menos adquirir euros, basta ser acompanhante, ter disposição e um objetivo, um foco maior. Que no meu caso é: construir uma vida a dois, com um homem feliz e realizado, com conquistas e que sinta prazer em dividir sua vida comigo.