Livro Completo
CADÊ? O DIA DE TRABALHAR A ANSIEDADE - 12-11-2002

Vida de mulher de peregrino é difícil...
Hoje é seu segundo dia de viagem e a falta de notícias, faz com que minha ansiedade aumente a cada segundo.
Tudo bem, São Thiago, tenho que trabalhar minha ansiedade, mas logo assim de cara, é maldade, não é?

Ansiedade é criar forças ou ameaças para seus planos. Exemplo disso? Criamos forças para emagrecer sem cobranças, quando estamos ansiosas para entrar naquele vestido, num tamanho bem menor do que usamos naturalmente, NAQUELE momento especial. Mas o caminho contrário também é bem doloroso (e acho que foi este que fiz hoje!)... Passei o dia todo no que poderia ter acontecido para ele não ter dado um sinalzinho de vida. Será que tá muito frio? Será que ele não conseguiu algum lugar para dormir? Será que está passando mal? Mas, em contrapartida, com o objetivo de emanar boas energias, para o que quer que tenha acontecido, pensava logo que simplesmente poderia ter sido um dia de grande caminhada, onde não havia cybercafé, ou que ele dormiu cedo e por isso não conseguiu me ligar agora à noite... Enfim, não havia muito o que fazer, a não ser, rezar a Oração do Peregrino e pedir proteção e forças para ele.

"Senhor, Deus, pai de infinita ternura, estamos sempre a caminho. No tempo nossa vocação é escalar a montanha da vida com fé, coragem e amor. Sabemos que não andamos sozinhos. Uma multidão caminha conosco motivada pela sede de felicidade, pela busca de vinho e pão. Sentimos a tua presença amiga em todos os passos da jornada. Com tua luz contemplamos a beleza das flores, a grandeza das florestas, as maravilhas do nascer e do pôr-do-sol. Que nossa caminhada seja um canto de gratidão. Um poema de amor, Uma fonte num dia quente para saciar a sede de nossos irmãos. E infundir nova coragem e alegria. E perceber no caminho até alcançar o cume da plenitude no eterno encontro contigo, senhor. Amém."

Neste meu caminho de trabalho da minha ansiedade, fico pensando nas relações. Quantas vezes, por ansiedade, pressupomos coisas que o outro "possa" estar fazendo ou pensando, e nos protegemos atacando quem mais amamos, sem saber ao menos se aquilo é real, ou uma simples viagem da nossa cabeça. Ou até mesmo, saímos fazendo tudo pelo nosso parceiro, achando que "fazendo por" estamos ajudando, quando na verdade estamos tirando dele a oportunidade de crescer e descobrir sua própria maneira de resolver coisas. E quando se fala de pessoas que têm uma maneira mais lenta de fazer suas coisas então? Fazemos rapidinho para "ganhar tempo". Pois uma vez me ensinaram que precisamos "perder tempo agora, para ganhar depois". Sendo assim...
Demos tempo àqueles que são mais lentos para descobrirem seus caminhos, deixemos as crianças desenvolver suas atividades mais simples como mudar de roupa, mesmo que para isso, ela leve meia hora por peça... Entendamos que cada um tem seu "timming" e que de nada adianta sairmos atropelando o outro por nosso excesso de ANSIEDADE. Tudo tem seu tempo, nada acontece fora do prazo.

E isso me faz concluir que: só me resta ficar tranqüilinha, tomando consciência de toda minha ansiedade, ocupando bastante meu tempo até que algum contato seja feito. Quem sabe o que o amanhã me reserva, não é?