Livro Completo
CIUME, sentimento 'flaquito" - 14-11-2002

Eu e PP, quando estamos sem forças, naqueles dias em que o astral está lá embaixo, quando tudo que queremos é colinho, dizemos para o outro que estamos "flaquitos"...

Bem, mas o assunto agora é o CIÚME, este sentimento que nada acrescenta à nossa vida, mas que raramente deixa de dar o ar da graça. E porque falar dele? Porque este foi o sentimento que peregrinei hoje no meu Caminho de Santiago feito aqui no Rio de Janeiro mesmo. Desde ontem quando li que ele estava acompanhado de uma espanhola e uma brasileira, fiquei meio incomodada, mas não demonstrei isso para ninguém e, na verdade não quis assumir isso nem para mim mesma. Mas, como não mentimos para nós mesmos por muito tempo... E logo em seguida, liguei para a mãe dele para ver coisas burocráticas que ele tinha deixado sob nossa responsabilidade e ela me falou: "ah, ele ligou hoje de manhã!". Pronto o meu mundo caiu! Po que não ligou para mim? Combinamos isso! Ele ligaria a cobrar pois sairia mais barato, a qualquer hora, a qualquer dia, eu tinha feito um planejamento de horário para que ele sempre me encontrasse, e até hoje não tinha me feito uma ligação sequer... Não pelo fato de ter ligado para a mãe dele, acho até importante que isso aconteça, mas dava para ligar para mim também? Acho que até fiquei meio fria com ela, mas... Magoei!

E passei o dia todo me avaliando, e tentando me auto convencer de que ter ciúme da mãe dele era ridículo... O que me levou a pensar na definição exata de ciúme: "receio de perder alguém para outrem." (dicionário Houaiss, p. 94). Neste caso não era uma disputa de atenção... Mas sim, a falta dela, isso na verdade era o que tinha acontecido. E com relação às peregrinas que estavam acompanhando-o, pensei, quando alcancei mais um pontinho na escala de minha "purificação": tantas são as pessoas que passarão pela vida dele nestes dias, que não será o fato de ele me dizer que está acompanhando duas mulheres que vai me enlouquecer. Muitas são as pessoas que vão entrar e sair na vida dele neste tempo. Quem sabe até para fazê-lo lembrar de mim. Ou seja, não adiantava ficar com ciúme dele, senão seria internada como louca, pois iria me tornar uma pessoa insuportável nos próximos quarenta dias...

Isso me fez pensar também no que desencadeia o ciúme em tantas pessoas que conheço, independente do sexo. Acho que o ciúme acontece quando o outro se sente desprotegido, quando a atenção dada é pouca, quando se está sendo pouco valorizado, o que acaba gerando uma baixa auto-estima, e aí, não há quem deixe de passar por uma crise de ciúme. E nesta hora, ficamos tão insensatos e malucos, que acabamos induzindo o outro a nos "criar" este ciúme. Mas, de qualquer maneira, sendo bom ou ruim, ele existe quando há pessoas se relacionando...

Quem nunca teve ciúme daquela amiga que de repente começou a contar seus segredos para outra? Ou aquele pai que viu sua filha dar mais atenção ao namorado do que a si mesmo?

Mas voltando à Santiago... Acredito que hoje ele esteja em Puente de La Reina indo para Estella. Estella, que significa "cidade das estrelas", tem uma colina de onde vale a pena apreciar a vista panorâmica da cidade a partir da Igreja de Santo Domingo. Lá, de alguns anos para cá, uma boa parte dos peregrinos brasileiros pratica caridade. Fiquei pensando: será que PP tem esta informação?? Se ao menos eu pudesse falar isso para ele ... Mas, passou! Abaixo, foto de Puente de La Reina...

Ponte em Puente la Reina

A lição do dia é: façamos uma caridade para os nossos relacionamentos: tiremos o ciúme das nossa vidas, transformemo-nos em guardiões da alegria, do perdão e da segurança!